28/09/2008

será Vulto?

Nada vago
tudo em voga
Sua voz roça
minha tez

Calado açoite

de cálida fonte
molha um olho

outro esconde

te gosto mesmo
sem as idéias,
lógica à esmo

parada em aldeias

enfim, um fim
se lá ou cá
dúvida sempre
se algo de mim

Um comentário:

izil disse...

Muito boa suas poesias, adorei,
parabéns.
izil